terça-feira, 11 de fevereiro de 2014

Pico do Gavião (Andradas) - Jarinu via Campinas

E mais um final de semana com tempo muito bom na região Sudeste, apenas o vento foi muito fraco e acabei tomando a decisão (errada) de ir para a rota NW no sábado, Casa Branca / Porto Ferreira.  Mas mesmo assim o voo deu 60km, mas outros que foram na proa de Limeira/Piracicaba chegaram nos 100+km. 

Já no domingo, dia de voltar para São Paulo, não tinha duvida alguma, a rota era na proa de Campinas, e assim foi.  Já na saída vários parapentes ficaram muito baixo, e o "Shumi" acabou pousando em Jardim, o Zé dos cem (Marquinhos Leme), ficou muito baixo nos morros atrás de Jardim.  Eu fiquei espero, e voltei para a planície, e consegui subir bem, depois disso o voo foi lento mas consistente, térmicas fortes, e descendentes também.  Pela primeira vez fiz esta rota, nunca tinha passado de Mogi, desta vez foi Jaguariuna, Paulínia até bater em Campinas. 


Chegando na D Pedro próximo a Campinas 

Um dos muitos aviões da Azul passando por perto, na proa de Itatiba 

Não fui direto para Itatiba, porque notei que os jatos passavam por cima daquela cidade, então achei mais seguro ir primeiro para Campinas, e depois virar a esquerda, e voar mais baixo, para não interferir na rota deles. Uma pena porque o tempo estava um pouco melhor mais no setor W.  Vantagem de seguir em cima da D Pedro, facilitando o resgate pós pouso.  Estava voando sozinho havia bastante tempo, e depois de deixar Campinas, um outro parapente se juntou, o Amilcar com seu Torck2, voamos um pouco juntos, o que foi ótimo, pois nos ajudamos, mas ele ficou baixo em Itatiba, onde eu lentamente consegui subir.

A estratégia era chegar na fogueira abaixo, e pegar as 18:00 a ultima térmica do dia, para quem sabe pousar em Atibaia, onde aprendi a voar de invertebrado.   Mas cheguei a 200m acima do solo, e comecei a testar a borda da fogueira, muita turbulência, resolvi que não valia a pena arriscar, pois para subir teria que me posicionar dentro dela, e o risco de tomar fechada forte não era pequeno, com mais altura teria tentado... 


No fundo a fogueira que não consegui usar por estar baixo demais, pousei no canto esquerdo inferior da foto, ao lado da plantação de abóboras, o resgate (Boni) chegou 5 minutos depois, foi um voo de 148km, em 6h45 de voo a bordo da possante Chili 3.

Um comentário:

Karina Furuzawa disse...

Parabéns Thomas!!!!