sexta-feira, 24 de julho de 2015

Gemona Del Friuli - Nordic Open


Após algumas semanas sem voar, estava pronto para o novo campeonato, de volta ao Norte da Itália, sim porque Gemona fica ao Norte de Veneza, uns 100km, próximo da fronteira dom Eslovenia e Áustria.  Local muito bom para o voo de parapente, com decolagem bem alta, vento relativamente constante do quadrante sul.  Possibilidade de voar em região plana e também em áreas montanhosas que já configura o início dos Alpes.  Voos para Eslovenia são possíveis, apenas importante mudar a língua do Italiano... para o Inglês, pois a língua local é meio difícil para nós brasileiros. 


A pequena Gemona de Friuli tem origem Pré Romana, desde o ano 611 já era citada nos livros, quando os Longobardos dominavam a região, mas prosperou mesmo nos 13/14 séculos, cobrava impostos das mercadorias que transitavam entre Itália e o Danúbio, depois foi dominada por Veneza e caiu em decadência, recentemente em 1976 foi destruída por um grande terremoto, mas já totalmente reconstruída.

Gemona del Friuli, centro histórico, um pouco antes do pouso

Mas voltando ao Nordic Open, é campeonato anual para os pilotos da Suécia, Noruega, Dinamarca, Finlândia e até mesmo para a pequena Islândia, que tem ao redor de 300.000 habitantes no país todo. Por regulamento eles oferecem 25% das vagas para estrangeiros, e eu consegui ser aceito porque fiz a inscrição meses atrás.  Por outro lado a organização aqui é terceirizada para o Brett Janaway e sua equipe que são ingleses.  É uma torre de babel linguística, mas todos falam bem inglês também, como é comum nestes países com educação de alto nível.  Grande parte dos pilotos está hospedado no Hotel Willy, que além de ser o QG também tem boas instalações de Camping, onde estou estacionado com o motorhome.   Único parte um pouco mais chata é a ferrovia ao lado, apesar de poucos trens a noite, quando passam incomodam.  

E todos gostam um pouquinho de voar... 

Briefing de segurança bem detalhado, feito em inglês, e não nas diversas línguas dos países Nórdicos, diferente do Campeonato na Macedônia onde havia tradução para o Húngaro o tempo todo.  Todos nós recebemos pulseira e uma carteira especial com todas informações de segurança, telefones, como é de praxe em campeonatos.  

As Provas
Prova #1 foi feita em cima da região plana, pois existia risco de super-desenvolvimento das nuvens nas montanhas, o que realmente acabou acontecendo em alguns locais mais distantes, sem afetar o campeonato em si.  Prova bem tática, larguei muito bem, voando por algum tempo no pelotão líder, mas sendo deixado para trás pelas velas de maior performance (Enzo2 + Boomerang 10).  Fizeram um prova meio curta, onde os vencedores fizeram em menos de 1h30, eu tive um pouco de sorte e terminei em #1 na prova, na categoria Sport.  Cometi um erro grande, numa montanha baixa que não consegui passar, e tive que andar um pouco para trás com medo do vento rotorizado a sotavento da montanha.  Muito interessante que aqui achamos ótimas térmicas em cima da calha bem larga de um rio que flui apenas no meio.

E com o calorão fomos para a "praia" no rio proximo, água geladíssima, apenas um problema para o único brasileiro, pois eles estão acostumados com frio.

Prova #2 foi bem diferente, infelizmente acabei largando muito mal, voamos para cima das montanhas, o que foi muito bonito, mas minha largada mais baixa significou que não consegui voar com o pelotão líder, aproveitando do conhecimento dos pilotos de ponta.  Mas fui no meio caminho, avançando posições rapidamente.  O visual fantástico das montanhas foi o destaque do dia, já que na planície o dia estava bem mais fraco.  Tive meio primeiro colapso grande desta vela, quando olhei para cima, parecia um grande pano amassado, mas a vela se comportou bem e rapidamente voltou a posição de voo sem muita interferência minha, e como foi simétrico, continue voando em frente.  Melhorando várias posições, fui impaciente, e deixei o grupo que estava voando para trás, e sozinho no azul na planície, tive um pouco mais de dificuldade, pois não conseguia alcançar o grupo da frente.  Não tive uma boa colocação, #49, mas fiz o goal que foi o mais importante.  Fui convidado para um ótimo jantar feito pela esposa do Andreas, em comemoração ao “meio do verão” , como é costume na Suécia, com direito a comida deliciosa, boas histórias, e iguarias Nórdicas.  Também veio um casal de origem Sueca mas que moram em Brisbane (Austrália) e o piloto é um dos “top” do pedaço.


O que está escrito na caneca ???? 

Prova #3 um dia estranho, com vento Leste, que não é comum na região.  Atrasaram a entrega da prova por um bom tempo, modificaram, pois ao invés de 1h para abertura da faixa, aumentaram para 1h30 pela dificuldade da decolagem.  Decolei cedo, e senti o ar bem turbulento, tinha que fazer as correções da vela com mais energia que o normal, ou seja estava levando pancadas mesmo.   Vi um reserva do tipo dirigível, Beamer, igual o meu, piloto lançou bem alto, mas não conseguiu pilotar o reserva, aliás estava subindo com ele mais do que eu, estava numa forte térmica.  Ele acabou aterrissando numa encosta alta da montanha, pois como não conseguiu pilotar o reserva (não entendi bem porque), não teve controle, saiu totalmente ileso.  Pouco tempo depois um outro incidente, desta vez mais sério, o que causou a interrupção da prova para chegada do helicóptero de resgate, impedindo a decolagem dos demais competidores.  Dia muito bom, forte e turbulento nas montanhas, que me deixaram meio desconfortável.   Terminamos indo de bicleta para o rio ao lado de Gemona para um refrescante banho nas suas águas geladas, o povo da Suécia/Noruega/Finlândia nem achava a água muito frio, mas eu vindo de “terras tropicalis” senti me diferente, mas o calor era tanto que a água gelada estava deliciosa.   A noite jantar oferecido pela organização, que foi ótimo para confraternização, aprendi bastante sobre os problemas da Grécia já que sentei na mesa do Grego que é o responsável pelo Live Track.

 E o visual das montanhas é fantástico

 Chegou no goal e conseguiu acertar as poucas árvores do pedaço, comigo quase... 

Prova #4 finalmente consegui pegar uma Van que foi direto para o topo da montanha, sim porque a estrada apesar de ser asfaltada em 90% do percurso, tem curvas muito fechadas e veículos muito grandes não conseguem subir.  Então apenas 60% das Vans vão até a decolagem, os que sobem nas outras tinham que esperar no meio do caminho para serem buscados.  Dia com vento mais fraco, Sul/SE, marcaram uma prova na região plana pois havia previsão de formação de Cumulus Nimbus nas montanhas, que realmente acabou ocorrendo no final da tarde.  Me posicionei melhor na largada, porém com medo de “varar” o teto máximo de 2.700m, saí um pouco mais baixo que muitos pilotos, mas o caminho até o primeiro ponto de virada nas montanhas, consegui voar bem, ficando sempre alto.  E assim foi o voo todo, na volta desviamos bastante para ficar em cima das montanhas, que estavam bem menos turbulentas que no dia anterior.  

No descampado a nossa rampa de decolagem, nada mais que um gramado gigante, bem inclinado 

Voando na área plana, sempre a parte mais difícil do voo, alguns dias funcionava bem outros...

Mesmo assim houve um reserva, do mesmo piloto que havia lançado no dia anterior, claramente ele não deveria voar 2 linhas, parece que já pos a venda seu Enzo2 ... Voei muito com as inúmeras velas Mantra 6 , EN-D da Ozone, e o dia rendeu bem.  No planeio final um grande susto, pois tinha saído com 600m de reserva e as fortes descendentes me jogaram para menos de 100m, que depois recuperei no caminho escolhendo bom caminho, alguns pilotos ficaram próximo ao goal, justamente por terem ido “justo demais”.   Acho que terminei em #1 na Sport, #25 na geral. 

Não dá para cansar desta paisagem... 

E finalmente a prova de sexta feira foi cancelado devido ao grande incêndio nas montanhas, apesar de não vermos nada, dois aviões tanque abasteciam de água no Mar Adriático, e voltavam para jogar água, passando ao nosso lado.  Com o NOTAM temporário só conseguimos uma janela das 13 as 15:00, então não deu para marcar prova, decolamos para voo local, e pouso em seguida.  Não custava eles desviarem um pouco, mas as negociações não deram certo, e só pudemos voar na hora do almoço dos pilotos...

 (foto retirada de um artigo de jornal)

Curiosidades: 
Piloto Finlandês jogou reserva dois dias seguidos, voa um Enzo2, e hoje sentou do meu lado na van subindo para a rampa, e falou que como tem um pouco de cérebro, não iria voar hoje, pois estava com muito pouca sorte, eu acho que foi o contrário, pois tendo jogado reserva (dirigível) em 2 dias consecutivos sem ter tido sequer um arranhão é muita sorte mesmo.  Claro que a vela é muito forte para ele... 

Espaço Aéreo: 
Além do ninho de pássaros, que devíamos evitar num raio de 500m sob pena de zerar o dia, tinha também a área de treinamento de Drones da Força Aérea.   Apenas no primeiro dia tivemos limitação de 2400m acima do nível do mar, depois aumentada para 2.700m, pois a 3.300m tinha treinamento de caças americanos.

Áreas proibidas durante o campeonato

Diversos
Uso de rastreadores da Flymaster (xTc) facilitaram muito o evento, não havia fila para retirada do aparelho ou entrega do voo, bastava deixar em cima da mesa, que a organização fazia o download do voo, evitando aquelas filas super chatas após o voo. No dia do vento Leste, o prazo para decolagem foi extendido por mais 30min, ou seja para 1h:30, no final a prova foi cancelada.
Muitas velas da Ozone, 16 Mantras 6, e 16 Enzos... 
No penúltimo dia mudaram minha nacionalidade de Alemão para Brasileiro, antes tarde do que nunca. 


3 comentários:

Anônimo disse...

A resposta para a pergunta sobre o que está escrito na caneca Thomaz está aí:
"Nunca perca a oportunidade de sentar-se por um tempo em silêncio e tomar"
Abraço.
Augusto

replicas relogios disse...



Em parceria com a Google e com o Grupo VIP oferecemos telas mosquiteiras importadas dos estados unidos aos clientes que querem proteção e bem-estar para sua família, isto porque o produto não propaga chamas, fungos ou mofos, são telas de fácil limpeza e protegem sua família contra picadas de insetos, principalmente os mosquitos da dengue. Telas mosquiteiras em São Paulo, telas mosquiteiras campinas, telas mosquiteiras valinhos, telas mosquiteiras vinhedo, telas mosquiteiras granja vianna, telas mosquiteiras alphaville, telas mosquiteiras tamboré , telas mosquiteiras jundiai.

telas mosquiteiras , telas mosquiteiras campinas, telas mosquiteiras valinhos, telas mosquiteiras vinhedo, telas mosquiteiras granja vianna, telas mosquiteiras alphaville, telas mosquiteiras tamboré , telas mosquiteiras jundiai.


casas em jundiai, casas para alugar em jundiai, apartamentos em jundiai, apartamento em jundiai, apartamento jundiai, imobiliaria jundiai, imobiliária jundiai, imobiliarias em jundiai, imoveis jundiai, imoveis em jundiai

Maria Angela disse...

Olá, bastante interessante teu Blog, é preciso um certo tempo para ler todas as postagens.
Estou te indicando uma forma de publicidade para teu Blog em forma de Banner e Poupoou.
A empresa Egrana paga relativamente bem, em dia e é muito fácil de você colocar anúncios em seus blog. Uma grana extra todo final de mês. Faz uma visita.

http://ads.egrana.com.br/indica/40521

abraços