sexta-feira, 22 de janeiro de 2010

SUL AMERICANO CHAVES PROVA 4

PROVA 4

Dia estranho, forte vento, fizeram a segunda sondagem quase ao meio dia, passara uma frente sem atividade chuvosa, mudou a massa de ar de novo.  Forte vento, alinhamos os planadores na pista, com “precauciones” ou seja vários amarraram o planador no chão para não ter problemas com o vento forte.  

Somente a classe aberta e 15m decolou, 2 horas de prova, um triangulo com vento de 30-40km/h, voamos entre 500m e 1200m, no azul total com muitos paliteiros (pajarero).  Erro de estratégia meu e do Blois, entramos demais na área de 3 Arroyos, mais próxima do mar, com tempo mais frio.  E depois na ultima área, tivemos dificuldades para subir.  Em cima das lagunas secas de cor bem escura consegui me virar para voltar, mas minha colocação foi lá para baixo de novo, e o Blois pousou fora.  Egon se deu muito bem, ficou em 2do lugar novamente, está com o campeonato no bolso, só ir administrando !

A INTERNET VOLTOU A FUNCIONAR !!! Depois de muita reclamação deram algum “jeito” e não preciso ir mais para cidade para acessar os emails, etc...

Sergio Reinaudo , Chefe da Delegação Argentina nos Mundiais de Luesse e Szeged e Uli Schwenk jantarm conosco.  Muitas histórias interessantes, com conversa em inglês, espanhol, português e alemão.


O RESGATE DO BLOIS

Pouso fora a 36km fora, o forte vento contra impediu ele de conseguir chegar de volta, fez uma ótima aterrisagem num arado na região de “Mariano”.  Tempos depois aqui no aeroporto, a dona da fazenda veio falar com a gente, que coincidência !!!

O resgate saiu as 1800 para pega-lo porém, 10km antes de chegar na fazenda, o pneu do pequeno Renault Clio furou.  Jabuti recém chegado o Brasil, todo animado e Fabiano foram pegar o estepe para fazer a troca fórmula um.  Porém o estepe do carro era de outro tamanho, resultado a troca formula 1 virou troca tartaruga, ou Jabuti ?????  Tentaram por o pneu do estepe da carreta, porém ele tinha um parafuso anti furto, e a chave ninguém sabe onde está... provavelmente com o ex dono na Nova Zelandia ou o atual em Buenos Aires.  Será que roubam muitos pneus de planador por aqui ???  Depois de 2 horas encontram um tratorista que não entendia o portunhol de Brasilia, logo a comunicação complicou.   O celular do Fabiano não tinha sinal, mas o tratorista pegou um Motorola Star Tac “Tijolo” que funcionou, avisaram o Schmidt / Batata que foram com a Pajero continuar o resgate isso as 22:00. 

Sr Walter, dono da fazenda mandou recado dizendo que o Blois estava na sede da fazenda tudo ok, e ele as 11 da noite, os levou a uma Gomeria (Borracharia) para trocar o pneu que estava totalmente moído, pois andara mais uns 10km furado.  Chegaram de volta depois da 1 da manhã.  Nem preciso comentar.

Agora Blois tem que lutar para conseguir de volta sua boa colocação, o dia hoje promete, fez frio a noite, a meteoro deve ser boa hoje, vamos ao Briefing, “chau” como dizem aqui.

Um comentário:

Pucci disse...

Tem coisas basicas do vôo a vela que andam esquecidas... Historias de chaves, carretas, estepes, etc são velhas conhecidas no anedotário volovelisticos...