domingo, 15 de novembro de 2009

Descrição do vôo de 960km

No último dia desta fase de ChosMalal novamente o céu estava azul, a previsão do site da NOAA de ventos (a mesma que o Galvão usa, acho), não entrava de forma alguma.  Sem muitos dados, fomos para o aeródromo, Rocco bem mais animado do que eu !  Preparamos o planador rapidamente e resolvi analisar no computador o vôo do dia anterior vs.  o paradigma.  Paradigma que são os 2 vôos enviados pelo Karl, um de um DG400 que voou 1500km, e outro do Diether de apenas 2000km !!!  Vi meus erros e acertos.



As 11:00 surgiram essas marcações, que sumiram 1h depois, pista de Chosmalal


AS 11h comecei a escutar as árvores balançando, o vento voltou, pensei que bom !!! Não deu outra, dava para ver os fiapos dos rotores, e logo depois formou a lenticular da CDV (Cordilheira del Viento).  Estava no ar as 11:30, e com apenas 8 minutos de motor, e a 18km a W da pista conectei na onda, tinha prefixado um vôo de 1042km. Subi rapidamente a 6000m e fui no rumo NW para o ponto de largada próximo ao Domuyo , tentei por 3 vezes chegar lá, mas escolhi caminhos ruins, e afundava muito no ultimo trecho.  A lenticular havia sumido, aliás o céu estava muito limpo, e pensei, hoje não será o dia para essa distância, vou para o sul fazer uma distância decente, e pesquisar um pouco mais os pontos de onda, evitando os erros do dia anterior.

Fiz a transição da onda da CDV para a de Caviahue (primaria) de forma a perder menos altura, e subi um pouco próximo ao grande platô.  Fui para o sul até Las Lajas, me mantendo na onda, sem indicação de rotores apenas sentindo mesmo, ou seja quando trepidava sabia que estava na área de rotores, corrigia um pouco para W.  Em Las Lajas, uns 150km ao sul de Chos Malal, resolvi voltar pois o Sul não parecei promissor, nuvens baixas e sem indicação de rotores ou lenticulares.   Voltei quase pelo mesmo caminho da ida, e agora sim fiapos de nuvens marcavam os rotores, transição para secundária foi fácil pois havia uma linha de nuvens mais crescidas, que funcionavam como marcação da onda.

Fui novamente na ponta norte, e tentei prosseguir um pouco mais para o lado de Malargue, mas a pouca marcação de onda, e minha falta de experiência nesta região me preveniu de continuar.  Fiz mais um ida e volta para o sul por uma rota um pouco diferente, para ir testando.   Haviam mais rotores espalhados, fiquei com vontade de ir mais longe, quando estava a 150km ao sul, vi que eram 18:00, não queria ficar mais distante da pista, então iniciei a volta.   Decisão um pouco prematura, pois poderia ter continuado para o sul, me mantive alto, subi na CDV novamente, e ... pouso !!!

Não foi um vôo de super distância, mas me senti bem mais confortável com o vôo, pois consegui identificar bem os sinais da onda, sempre fiquei alto vs. o terreno, que nesta região é muito importante.   O vento do dia estava na média em 60km/h a 5000m, ou seja não pode bobear, pois contra vento e com descendente é questão de minutos para ir ao “piso”.  Distancia OLC 915km, SIS-AT 962km, vale a maior não é ???

Depois do pouso já estava Chollo (Horácio Miranda), que bateu o Record mundial de velocidade em triangulo de 100km com 248km/h !!!, aguardando no solo.  Trouxe o IS28 biplace metálico do Aero de General Roca.  Agustin e o amigo das Ilhas Canárias também  estava na pista.   Ajudaram a levar o planador de volta para o pátio, eu congelado novamente...  E o vento estava forte, dificultando um pouco o desmonte do planador.  Tive um problema novamente com as molas do escapamento, então abria a baia do motor para erguer e desmontar o mesmo.  A temperatura do motor mostrava -7 graus, uns 15 min depois do pouso, o motor subiu muiiiito lentamente, imagino que em vôo ele não iria subir, pois o vento contra faria esse processo ainda mais lento.  Creio que a graxa estava muitofria ainda da “rosca sem fim” que faz esse processo, pois a bateria estava totalmente carregada (sempre vôo com outras baterias).  Mais uma lição para não confiar no motor, ainda mais depois de um vôo de 8:30 sempre acima de 4000m, com temperatura média externa de -15 graus C.






Planador na carreta, tudo guardado fomos nos arrumar para o jantar com os amigos que estavam chegando em Chos Malal, para pegar o ônibus das 1:30 da manhã a Neuquen e os vôos para Buenos Aires e Brasil.



Desmontando o DG as 9 da noite

A temporada este ano está muito boa, com o El Niño a corrente de jato (chorro em espanhol) está um pouco mais ao norte favorecendo a onda.  No ano passado Patrick me contou que ficou 15 dias em Chosmalal e não teve 1 dia sequer de onda, eu tive sorte,  voei desde Malargue os 4 dias direto !

Os alemães começam a voar em San Martin de Los Andes, parece que o container finalmente foi liberado da Alfandega, junto com o Karl que está lá há uma semana com o Ventus2CM.   Vi também na OLC que tem 2 planadores ingleses iniciando os vôos em Bariloche bem como o Francês Jean Marie.  A temporada promete muito !!! 

Oficialmente o “acampamento” começou este sábado e prevem uma boa quantidade de planadores em Chosma, contarei depois quando voltar para lá no início de Dezembro para a fase 2 desta expedição.





Saindo da cidade perdemos esta festa que movimentou tudo !

Um comentário:

Sergio disse...

Beleza, Thomas!
V é um pioneiro!

abs

Sergio Andrade