sexta-feira, 6 de novembro de 2009

Salta a Londres

Na quinta feira, resolvemos sair da "metrópole" Saltenha, afinal viemos para conhecer os Andes, e não ficar apenas na cidade grande.  Tivemos que resolver vários assuntos, entào como sempre chegamos tarde ao aeroporto.   O dia estava bonito, mas com alguns indícios de chuva na cordilheira.

Decolei rapidamente com o DG, e junto o Rafael Belton do Aeroclube com o ASW15 do clube, ele foi o dono de um DG800b que hoje é do Marcelo Martino.  Voamos junto um pouco, bati fotos aéreas, mas logo o DG despachou o ASW, e fui rumo sul, ele voltou para cima do Aeroclube.  A cordilheira estava meio fechada proximo a Salta, então voei mais ao sul ainda pelo vale.  Avisei o Rocco por SMS, aqui pega em voo, que nao iriamos a Cafayate, e sim para São Miguel de Tucuman, porque a serra estava fechada.  Meia hora depois logicamente abriu tudo, e voei em cima de cordilheiras fantásticas, desertos etc.  Térmicas fortissimas em alguns já que a região é muito seca.  Para subir um pouco de dificuldade mas uma vez em cima, voei no topo das montanhas por longos quilometros, com vento de cauda.


ASW15 de Salta com Rafael Belton

Um pouco de oxigenio já que voei entre 10.000 e 18000 pés, 3000 a 5000metros.  Usando o SPOT e SMS  avisei o Rocco que iria para Londres, pequena cidade ao lado de Belém.  Uma hora depois ele respondeu ok, mas ainda estou em San Miguel de Tucuman com muito transito.  Eu já estava quase em cima de Londres, isso ainda as 17, poderia ter voado mais uns 200km para o sul, o por do sol é bem tarde.






Passei por uma pista com terminal de passageiros (estava a 5000m) mas vi uma infraestrutura impressionante, depois vim a saber que é de uma mineradora que extrai ouro ... Ainda bem que não tentei pousar lá.  Ficava no meio de um deserto, sem vegetaçào ou cidadezinha a vista (Campo Arenales).


Deserto mesmo

Voltando a Londres, a pista de asfalto excelente, não tem movimento algum.  Após o pouso o pessoal a estrada ia parando para ver o que estava acontecendo, juntaram umas 10 pessoas, considerando que a população local não deve passar de 2000 pessoas...   A polícia foi chamada, normal nestas partes remotas, para fazer a fiscalização, o simpático defensor da lei anotou num papel velho todos meus dados e do planador.  Depois me deu carona para  a cidade, explicou sobre a fundação da cidade, em 15xx, uma das mais antigas da Argentina, pois era rota das riquezas a serem exportadas para Espanha, pelo Chile.



Relevo muito acidentado

Na pequena cidade arrumei acomodação na casa da Sr Pola, por R$18 por pessoa não dava para esperar muito, jantei ao lado mesmo, e fui dormir um pouco mais cedo, mesmo com o som bombando forte na praça única, e as motocas dando várias voltas.  Acordei no meio da noite, e nada do Rocco, fiquei preocupado, ele chegou as 1:30 da manhã !!!! A viagem dele foi muito mais aventura que a minha, entrou IFR a 3000m de altura, com neblina forte a noite, numa estrada não pavimentada com curvas fechadas no meio da cordilheira, velocidade de 12km /h ...


Pista de Londres (Argentina)


Recepção ótima !


Tratamento VIP , até carona para a cidade com direito a city tour no carro oficial !


Uma das cidades mais antigas do país, Londres by Catamarca

3 comentários:

cesarmazzoni_adv@yahoo.com.br disse...

Oi Thomas, muito bom o seu blog.
Só comparando: ASW-15, melhor L/D 35:1 Vs. DG-800b, com 1/3 de freio aberto, voando melhor que o ASW-15... hehehehehe
Abraços e bom voos.
Cesinha Mazzoni
Ac. Tatuí

duduguedes disse...

Oi Thomas, muito legal seu blog. Agora entendo porque se adaptou rápido ao parapente. Nunca tive a oportunidade de voar de planador, mas pelas fotos e estórias, deu água na boca. abcao e bons vôos sempre ! Dudu Guedes.

Anônimo disse...

Thomas
estive em Salta, pretendo voltar la voando tambem. um abraço
Mike Ubatuba